segunda-feira, 13 de outubro de 2008

O quê somos?

Será que somos máquinas bioquímicas? Responda agora.

Nascemos, crescemos, nos reproduzimos e morremos. Tudo bem simples, mas não tão simples assim... um pouco complexo. Nós temos hormônios neurotransmissores, que tem certas funções:
Dopamina: estimula o sistema nervoso, percussor natural da adrenalina;
Serotonina: Controla a liberação de alguns hormônios, como a do sono e do apetite;
Acetilcolina: Essencial no aprendizagem e na memorização.
Noradrenalina: Induz a excitação física e mental e bom humor, e é produzida na área chamada área de ”prazer” do cérebro;
Endorfina: é liberada no orgasmo, visando relaxar e dar prazer, causando euforia e bem estar.

Mas a única vez que liberamos todas essas substâncias juntas é quando vemos a pessoa amada.

*Agora responda: Somos máquinas bioquímicas?

11 comentários:

Amanda Pinto disse...

O amor vem do cérebro e não do coração... somos uma máquina! ;D

Amanda Pinto disse...

TEORICAMENTE, mas a gente sabe que não é bem assim. =P

Rosana Rosario disse...

humm...e pq nao? pena q nem sempre conseguimos programa-la como de fato gostariamos que funcionasse.
bjsss e obrigada pela visitinha.

cαтια. disse...

Somos máquinas biológicas com vida sentimental e afectiva ;)

Beijinho*

Sun , «3 disse...

Segundo o preformismo, sim.
Já estamos pré determinados.
Porém considero-me uma pessoa epigénica: somos influenciados pelo meio em que vivemos.

Mas quem sou eu para ter alguma consideração sobre algo, se nem sei quem eu sou.


Um beijo,
obrigada por la passares.

Danielle Cristina disse...

Vcs ganharam um selo do meu blog, depois passa lá pra buscar!
xD

disse...

Acredito sim que sejamos uma máquina, uma máquina com alguns pequenos defeitos. Defeitos que nos fazem agir por impulso e esquecer que o verdadeiro comandante dessa grande 'máquina' é o cérebro e não o coração. E sim, quando vemos a pessoa amada todas as substâncias são liberadas da maneira mais incrível. É bom demais amar.

Talles Borges e Borges Moreira disse...

Acho tudo relativo, as vezes me torno uma maquina quando minha vida vira rotina. sabia amor?
Acabei de postar te espero no meu
Bjaum!

pin gente disse...

... sem o botão de marcha atrás!

beijo

Camilla disse...

Ownnnnn pior é que é verdade.

João da Silva disse...

Hm... para pensar, hein?
Beijos carinhosos do João